HISTÓRIA DA CHRIS TSAPATSI

Coragem e esperança!

Depois de ler alguns depoimentos e histórias sobre Portugal, resolvi compartilhar também nossa própria história.

Sobre a nossa decisão de sair do Brasil! Tudo começou com o início de nossa vida em comum na Lapa, em São Paulo. Foi assim, em 1986 decidimos num ímpeto, juntar nossos travesseiros e não houve aquilo o que habitualmente os casais faziam: noivado, chá de panela, casamento, planejamento…simplesmente fomos morar juntos e ponto final.

Começamos com alguns pratos e talheres emprestados em um apartamento alugado
mobiliado. O Ricardo era músico na noite paulistana e eu bancária. Aos poucos,
fomos equipando nossa casa, adquirindo nosso carro e etc. Mas após três meses juntos, também sem planejamento, engravidei! Como éramos inexperientes e loucos!
Depois do nascimento do nosso primeiro filho, meu marido resolveu abandonar a música
e se dedicar a carreira que havia estudado na adolescência no SENAI… Projetista!
Com isso prestou vestibular e foi estudar Engenharia. Ele pensava: “vou estudar, me
aperfeiçoar para dar ao meu filho e à minha família um futuro digno e uma vida tranquila”.

E não me estendendo nessa parte de nossa história, o resumo é que estudou, formou-
se Engenheiro Mecânico e Civil, em seguida, fez Pós Graduação e com mestrado no IPT, título buscado por muitos profissionais.

Tivemos mais uma filha, e os dois hoje são nosso orgulho! Quando foi em 2002, meu marido já tinha um cargo pomposo, Diretor numa multinacional, e eu pude parar de trabalhar fora para me dedicar inteiramente aos cuidados com os nossos filhos. Enfim, conseguimos comprar nosso terreno para a construção da casa dos sonhos. Nesta época resolvemos que abrir o próprio negócio seria mais vantajoso, levando em conta que queríamos uma vida mais tranquila e usar à nosso favor aquilo que enchia o bolso do patrão dele, seu grande“Know How”!

Foi aí que nossos sonhos desmoronaram, em 2003 um governo corrupto e pseudo
favorável aos mais necessitados tomou o poder em nosso país. O negócio recém
aberto ia de mal à pior, apenas as grandes construtoras tinham oportunidades num Brasil onde os poderosos reinam. O tal “Know How” de nada servia!

Aos poucos fomos perdendo o pouco que havíamos conquistado, principalmente
nosso imóvel e de volta ao mercado de trabalho, meu marido não conseguia uma
colocação pois era muito qualificado, sim… MUITO QUALIFICADO!
No fim foi obrigado a aceitar um cargo com um salário bem abaixo de sua qualificação
e eu continuei de casa tocando pequenos projetos de nossa empresa o que ajudava
em nossa sobrevivência.

Nossos filhos chegaram na fase universitária, fizemos das tripas coração para que concluíssem seus cursos, ele Arquitetura e ela Veterinária. Ambos se formaram em 2014. Meu filho nunca conseguiu depois de formado, trabalhar em arquitetura, apenas estágios até se formar. Minha filha conseguiu uma vaga como Médica Veterinária, onde ganhava por mês menos do que pagamos a mensalidade de seu curso. Simplesmente “VERGONHOSO”, enquanto Lulas e Eikes sem um curso superior ficam milionários às custas de brasileiros que ralam dia e noite por um pedaço de pão!

O Luciano e a Monica (história contada também aqui nesse blog),  foram felizes em seu depoimento, o que falta no Brasil é comprometimento!

Minha filha em 2015 cansou, juntou suas coisas e foi para Londres tentar ser feliz. Eu e meu marido desde 2003 quando as coisas começaram a ficar ruins tínhamos vontade de sair fora. Eu tenho cidadania européia e a vontade de ir para a Grécia, terra da minha família, era muito grande. Mas aí a Grécia tinha entrado numa crise brava e nossa vontade ia ficando quietinha, lá no seu canto!

Meu filho não conseguia emprego em arquitetura e dava aulas de inglês numa conhecida escola de idiomas, sua noiva também Arquiteta, foi dispensada em 2016 e decidiram sair do país. Casaram e se mandaram para Dublin!

Ficamos nós dois, até que em agosto/2016 , meu marido entrou para o grupo dos 13 milhões de desempregados do Brasil, daquele emprego que havia conseguido lá atrás ganhando bem menos. E agora? Nada mais nos prendia no Brasil, nossos filhos tinham ido embora e nossos bens se resumiam apenas a mobília e dois carros. Nunca pensamos em Portugal, sempre pensamos em ir para perto de um de nossos dois filhos, mas então, meu marido se inscreveu para Doutorado na Universidade do Minho e mais do que depressa foi aprovado.

Foi demitido em agosto e em outubro estávamos partindo para Portugal. Foi Vapt-Vupt, como dizemos no Brasil, sem tempo para pensar ou pesar os prós e os contras. Naquele momento, qualquer coisa era melhor que o Brasil. Mas apesar de não termos mais nossos filhos, tínhamos nossos pets, 4 cães, 2 gatas e 1 jaboti e em momento nenhum cogitamos a ideia de deixá-los para trás! O jaboti decidimos deixar por causa do clima, é um animal de clima tropical e sofreria  horrores com o frio europeu, então ele foi adotado por um amigo e hoje vive feliz. Mas os cães e gatas vieram comigo, todos no mesmo voo, sim senhor e este episódio é digno de um depoimento apenas para ele!

Como tudo aconteceu no atropelo, meu marido veio em outubro, e eu por causa da burocracia com os pets e precisei aguardar até novembro. Neste período enquanto ele buscava moradia para nós em Portugal, eu no Brasil fiz um “Família Vende Tudo”, vendi cada parafuso, eletrodoméstico, móvel, roupas, carros, que é que tem nos mantido em Portugal. Lembram que começamos em 1986 com pratos emprestados? Estamos cá em Portugal, ambos com mais de 50 anos, tomados de uma coragem inexplicável, começando de novo. Não tão do zero como em 86, porque fizemos um dinheirinho com o pouco que nos restou no Brasil. Meu marido ainda não conseguiu uma colocação no mercado português, mas as chances são promissoras e nossos corações estão cheios de esperança e certos de que fizemos a melhor escolha, hoje dormimos em paz.

Nossos filhos estão bem cada qual com sua luta, mas com muito mais perspectivas do que no Brasil, país que não oferece oportunidades e não respeita seu cidadão. Aqui vivemos com menos, mas com muito mais qualidade de vida!

Anúncios

5 comentários em “HISTÓRIA DA CHRIS TSAPATSI

  1. Começar nova vida depois dos 50 anos de idade, não é para todas as pessoas, minha amiga. É preciso coragem, determinação, força, sabedoria e confiança, e isso vcs tem de sobra… obrigada por nos mostrar que nunca é tarde, e que vale a pena seguir seu sonho, mesmo que esse sonho seja pequeno perto dos sonhos das outras pessoas, é o nosso sonho, e se é nosso, é grande pra gente também. Quantas pessoas deixam de acreditar em si mesma após os 50 anos, desistindo de lutar. E teu texto disse justamente o contrário , sempre há tempo.
    Precisamos desses combustíveis de alta octanagem, rsrs, para não deixar o motor da vida parar.
    Boa sorte queridos! E tudo o que fizerem façam com todas as forças dos seus corações!
    Não tem como não dar certo!!!! Um grande beijo e saudades!

    Curtido por 2 pessoas

  2. Que bela história de vida, Chris! Parabéns pela ousadia de recomeçar! A vida é especial por isso, pois nos oferece sempre novas oportunidades, nos tira da nossa zona de conforto e nos leva para uma zona de confronto que nos amadurece e nos enriquece cada vez mais!! Viva o recomeço da vida e bem-vinda à Portugal!

    Curtido por 2 pessoas

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s